Eduardo Paes anuncia possível corte de subsídios para ônibus sem ar-condicionado no Rio de Janeiro

Na manhã desta quinta-feira, em coletiva no Centro de Operações Rio, Eduardo Paes (PSD), prefeito da cidade, abordou questões relacionadas ao funcionamento inadequado dos aparelhos de ar-condicionado nos ônibus urbanos. Em resposta a essa problemática, Paes afirmou que as empresas que não mantiverem a refrigeração adequada em seus veículos podem ter seus subsídios cortados novamente.

O prefeito destacou o dilema enfrentado com as empresas e informou que a justiça autorizou o desconto dos subsídios para ônibus sem ar-condicionado: “Vivemos um dilema com essas empresas. A justiça voltou a autorizar que a gente desconte o subsídio dos ônibus que não têm ar-condicionado.”

O procurador-geral do município, Daniel Bucar, esclareceu que a decisão de retomar o corte de subsídios foi parcialmente favorável à prefeitura, permitindo que os recursos sejam depositados em juízo durante o processo judicial.

Em agosto, os consórcios que operam as linhas na cidade conseguiram uma liminar que impedia a prefeitura de reduzir o subsídio quando as empresas rodavam com frota abaixo do determinado e com veículos sem ar-condicionado. Na coletiva, Paes explicou que a prefeitura tentou implementar novas medidas, como o aluguel de mais ônibus com ar-condicionado, mas essa iniciativa foi suspensa pela justiça.

O prefeito expressou sua relutância em pagar pelo aluguel de ônibus e enfatizou o compromisso com o bom funcionamento dos veículos: “Eu não quero pagar aluguel de ônibus nenhum. Prefiro fazer com que ele funcione. Dificilmente, algumas empresas vão sobreviver até o fim do verão se continuarem a tratar a população com desrespeito.”

Nos próximos dias, Paes planeja anunciar um conjunto de medidas voltadas para a saúde da população, buscando soluções para os desafios enfrentados pelos serviços de transporte público na cidade.

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.